Google+ Followers

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

As enigmáticas Montanhas de Urubici...


Já havia passado o tempo de retornar à Serra! Um novo grau existencial conferiu-me a bem aventurança de peregrinar pelas Montanhas com minha Família: Pâmela, Thomas e Benjamin. Thomas têm cinco anos e Benjamin completou seu décimo primeiro mês de existência nas alucinantes curvas "alpinas" da Serra do Corvo Branco.

Início do mês de Dezembro; Previsões climáticas positivas - para quem pretende ir à Serra; Devido ao fenômeno climático "La Niña" o Sul têm sofrido uma estiagem prolongada. Hora de decidir o rumo: A ocasião era ideal para visitar os cenários de Urubici - Santa Catarina! 

A região abriga  maravilhosas Montanhas integrantes da Serra Geral. Cânions e Picos em arenito deram forma  a surpreendentes Portais de Pedra como o famoso "Morro da Igreja" (o segundo mais alto do Sul do Brasil) e do "Morro Campestre" (de onde se têm uma visão espetacular do Vale do Rio Canoas).  Fantásticos remanescentes de Matas de Araucárias e Campos de Altitude, repletos de espécies endêmicas, completam o cenário! 

Parêntesis aos Saltos de rara beleza cênica, regados à águas gélidas e cristalinas, tais como o Salto do Vacariano, Véu de Noiva, Avencal e outros que não tive a oportunidade de visitar... Inscrições Rupestres e estradas alucinantes conferiram uma disposição especial à todos!

Fizemos em dez horas os 780 quilômetros de Rolândia à Pousada Arroio da Serra,  localizada em uma Colônia Alemã de Urubici. À Pâmela devemos a feliz opção por uma propriedade de Agricultores Familiares integrantes do belíssimo Projeto "Acolhida na Colônia". A Família Israel - com quem nos identificamos - nos acolheu durante os memoráveis três dias...

Após uma boa noite de sono, acordamos cedo, tomamos café e partimos para o Morro da Igreja. Valeu a pena. Fomos os primeiros a chegar. Fantástico mar de nuvens e iluminação perfeita para registrar todo o encanto da Flora. O ar mágico da Montanha contagiou todos... Acompanhado pelo Thomas realizei uma rápida caminhada observando os incríveis abismos... 

Na descida almoçamos próximo ao Véu de Noiva, uma aprazível e visitada cachoeira. Em Assembléia Familiar, decidimos rumar à Serra do Corvo Branco - a estrada mais bela e intrigante da região. Logo no início, um imponente corte em rocha arenítica dá acesso à abismos impressionantes... Sem dúvida, uma fantástica Obra Humana!

By Pâmela Lonardoni Micheletti;

Percorremos a estrada sinuosa curtindo cada minuto até o fim do asfalto e retornamos à Urubici. Chegamos a cidade perto das 15:00 horas e rumamos ao Morro do Campestre.  Fizemos a metade do percurso em um 4x4. Após uma rápida caminhada, perdemos o fôlego diante do Majestoso Portal. Em seu interior há Câmaras e abrigo para o Sol escaldante...

Convidei o Thomas para "escalaminhar" o Portal e, face a desenvoltura do menino, chegamos ao Cume, logo acima. Dia perfeito. Retornamos à Pousada e ainda  sobrou um tempo para brincar de estilingue com o Thomas e refrescar-me no Rio Canoas. Avistamos um bando de gralhas azuis na Copa de belos exemplares de Araucárias... Dormimos tranquilamente...

No dia seguinte, acordei confuso. Iria à Serra do Rio Rastro ou deixaria esta belíssima estrada para a volta? De meta havia apenas as Inscrições Rupestres de Culturas Pré-Colombianas (datadas de 3.000 anos) e o Salto do Avencal - na estrada para São Joaquim - acesso para a Serra do Rio do Rastro. Em menos de uma hora, atingimos nossos objetivos...

Retornamos ao Carro, o dia estava nublado e decidi tentar a sorte na Serra do Rio do Rastro. Logo o tempo se abriu. Contudo, bons quilômetros nos separavam de Bom Jardim e da famosa Estrada.  Embora a Pâmela ainda não me censurasse (as crianças ainda estavam quietas) eu já imaginava que tal percusso (de 170 quilômetros) nos demandaria horas!

Descemos a Serra. Todos ficaram encantados com sua beleza! Logo a impaciência manifestou-se... A Pâ consultou seu GPS que indicava meia volta para Urubici.... Houve censuras à minha pessoa... Mesmo assim, expliquei que o melhor caminho era voltar pela Serra do Corvo Branco... O GPS não a listava porque rotas sem asfalto eram descartadas pelo sistema...

Felizmente, os moradores confirmaram minhas suposições! Partimos à toda para a Serra do Corvo Branco. Sem GPS, segui a intuição e os poucos moradores que consultei quanto à rota. Às 14:30 horas, avistamos os aparados  fantásticos e imponentes da Serra! Estávamos perto...

Subimos a "Estrada Alpina" e perto das 16:00 horas estávamos na Pousada para o Café da Tarde... Era nosso último dia na Serra e não podia deixar de banhar-me no Salto do Vacariano! Convidei a Pâmela - que diante do cansaço - declinou o convite. O Thomas nem hesitou! Nosso anfitrião Heraldo nos acompanhou rumo a um memorável banho no Salto.

Na trilha, o Thomas (agora descalço) novamente nos brindou com uma brilhante performance! A temperatura ambiente estava perto dos 25º - enquanto a água não passava dos 7º Celsius! Jamais esquecerei aquele maravilhoso e revigorante choque térmico!  O Por do Sol se aproximava... Hora de voltar ao pouso, jantar, preparar as malas, dormir, agradecer, retribuir a Hospitalidade da Família Israel e partir para a Praia em Guaratuba! 

O Salto do Vacariano! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário