Google+ Followers

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A Raiz das Artes...

Hesse nas Montanhas de Montagnola;
Há algum tempo, estava distante da Obra Monumental do escritor alemão Hermann Hesse. Dias atrás recebi de Frater Kaczor um Título que ainda não havia lido: Narciso e Goldmund. Julgo oportuno compartilhar um pequeno trecho que revela a genialidade da referida Obra: Talvez o medo da morte seja a raiz de todas as artes e talvez até mesmo de todo Espírito. Nós a tememos, estremecemos em face à transitoriedade e contemplamos com tristeza como, continuamente, as flores murcham, as folhas caem, e sentimos dentro do próprio coração a certeza de que também somos passageiros e que em breve feneceremos. Se, porém, como os artistas criamos imagens, ou como pensadores vamos em busca de leis ou formulamos pensamentos, então agimos no sentido de poder salvar algo da grande dança da morte, colocando ali alguma coisa  que possua uma duração maior do que nós mesmos...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

As enigmáticas Montanhas de Urubici...


Já havia passado o tempo de retornar à Serra! Um novo grau existencial conferiu-me a bem aventurança de peregrinar pelas Montanhas com minha Família: Pâmela, Thomas e Benjamin. Thomas têm cinco anos e Benjamin completou seu décimo primeiro mês de existência nas alucinantes curvas "alpinas" da Serra do Corvo Branco.

Início do mês de Dezembro; Previsões climáticas positivas - para quem pretende ir à Serra; Devido ao fenômeno climático "La Niña" o Sul têm sofrido uma estiagem prolongada. Hora de decidir o rumo: A ocasião era ideal para visitar os cenários de Urubici - Santa Catarina! 

A região abriga  maravilhosas Montanhas integrantes da Serra Geral. Cânions e Picos em arenito deram forma  a surpreendentes Portais de Pedra como o famoso "Morro da Igreja" (o segundo mais alto do Sul do Brasil) e do "Morro Campestre" (de onde se têm uma visão espetacular do Vale do Rio Canoas).  Fantásticos remanescentes de Matas de Araucárias e Campos de Altitude, repletos de espécies endêmicas, completam o cenário! 

Parêntesis aos Saltos de rara beleza cênica, regados à águas gélidas e cristalinas, tais como o Salto do Vacariano, Véu de Noiva, Avencal e outros que não tive a oportunidade de visitar... Inscrições Rupestres e estradas alucinantes conferiram uma disposição especial à todos!

Fizemos em dez horas os 780 quilômetros de Rolândia à Pousada Arroio da Serra,  localizada em uma Colônia Alemã de Urubici. À Pâmela devemos a feliz opção por uma propriedade de Agricultores Familiares integrantes do belíssimo Projeto "Acolhida na Colônia". A Família Israel - com quem nos identificamos - nos acolheu durante os memoráveis três dias...

Após uma boa noite de sono, acordamos cedo, tomamos café e partimos para o Morro da Igreja. Valeu a pena. Fomos os primeiros a chegar. Fantástico mar de nuvens e iluminação perfeita para registrar todo o encanto da Flora. O ar mágico da Montanha contagiou todos... Acompanhado pelo Thomas realizei uma rápida caminhada observando os incríveis abismos... 

Na descida almoçamos próximo ao Véu de Noiva, uma aprazível e visitada cachoeira. Em Assembléia Familiar, decidimos rumar à Serra do Corvo Branco - a estrada mais bela e intrigante da região. Logo no início, um imponente corte em rocha arenítica dá acesso à abismos impressionantes... Sem dúvida, uma fantástica Obra Humana!

By Pâmela Lonardoni Micheletti;

Percorremos a estrada sinuosa curtindo cada minuto até o fim do asfalto e retornamos à Urubici. Chegamos a cidade perto das 15:00 horas e rumamos ao Morro do Campestre.  Fizemos a metade do percurso em um 4x4. Após uma rápida caminhada, perdemos o fôlego diante do Majestoso Portal. Em seu interior há Câmaras e abrigo para o Sol escaldante...

Convidei o Thomas para "escalaminhar" o Portal e, face a desenvoltura do menino, chegamos ao Cume, logo acima. Dia perfeito. Retornamos à Pousada e ainda  sobrou um tempo para brincar de estilingue com o Thomas e refrescar-me no Rio Canoas. Avistamos um bando de gralhas azuis na Copa de belos exemplares de Araucárias... Dormimos tranquilamente...

No dia seguinte, acordei confuso. Iria à Serra do Rio Rastro ou deixaria esta belíssima estrada para a volta? De meta havia apenas as Inscrições Rupestres de Culturas Pré-Colombianas (datadas de 3.000 anos) e o Salto do Avencal - na estrada para São Joaquim - acesso para a Serra do Rio do Rastro. Em menos de uma hora, atingimos nossos objetivos...

Retornamos ao Carro, o dia estava nublado e decidi tentar a sorte na Serra do Rio do Rastro. Logo o tempo se abriu. Contudo, bons quilômetros nos separavam de Bom Jardim e da famosa Estrada.  Embora a Pâmela ainda não me censurasse (as crianças ainda estavam quietas) eu já imaginava que tal percusso (de 170 quilômetros) nos demandaria horas!

Descemos a Serra. Todos ficaram encantados com sua beleza! Logo a impaciência manifestou-se... A Pâ consultou seu GPS que indicava meia volta para Urubici.... Houve censuras à minha pessoa... Mesmo assim, expliquei que o melhor caminho era voltar pela Serra do Corvo Branco... O GPS não a listava porque rotas sem asfalto eram descartadas pelo sistema...

Felizmente, os moradores confirmaram minhas suposições! Partimos à toda para a Serra do Corvo Branco. Sem GPS, segui a intuição e os poucos moradores que consultei quanto à rota. Às 14:30 horas, avistamos os aparados  fantásticos e imponentes da Serra! Estávamos perto...

Subimos a "Estrada Alpina" e perto das 16:00 horas estávamos na Pousada para o Café da Tarde... Era nosso último dia na Serra e não podia deixar de banhar-me no Salto do Vacariano! Convidei a Pâmela - que diante do cansaço - declinou o convite. O Thomas nem hesitou! Nosso anfitrião Heraldo nos acompanhou rumo a um memorável banho no Salto.

Na trilha, o Thomas (agora descalço) novamente nos brindou com uma brilhante performance! A temperatura ambiente estava perto dos 25º - enquanto a água não passava dos 7º Celsius! Jamais esquecerei aquele maravilhoso e revigorante choque térmico!  O Por do Sol se aproximava... Hora de voltar ao pouso, jantar, preparar as malas, dormir, agradecer, retribuir a Hospitalidade da Família Israel e partir para a Praia em Guaratuba! 

O Salto do Vacariano! 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Crítica à estatização!


Fernando Pessoa é o Grão Mestre da Língua Portuguesa. Nos últimos dias, realizei uma leitura dos Ensaios reunidos na Obra intitulada A Essência do Comércio. Preparei algumas notas que julgo pertinentes - face ao aumento da interferência Estatal na Sociedade contemporânea: "A administração de Estado só é admissível quando é inevitável, e só é inevitável num caso anormal, a guerra, e ainda assim, só para certas indústrias e comércios (...) A Administração pelo Estado de uma indústria ou comércio é prejudicial ao Estado, porque todo o comércio ou indústria mal administrado é prejudicial em si mesmo; Os riscos, e pois os prejuízos, da administração de Estado estão evidentemente na razão direta  da extensão com que essa administração intervém na vida social espontânea. Máximos nos regimes reformadores (Marxistas) que pretendem organizar de novo uma coisa chamada <sociedade> que não sabem o que é nem a que leis obedece, esses riscos e essa extensão baixam à medida que a administração de Estado se aproxima da estrita atividade fiscal e tributária que só ao Estado compete" (...) Com efeito, o Estado deve concentrar seus esforços  em setores onde têm falhado: Segurança, Saúde e Educação conforme leciona o Mestre: "É pois evidente que quanto mais o Estado intervém na vida espontânea da sociedade, mais risco há, se não positivamente mais certeza, de a estar prejudicando; Mais risco há de estar entrando em conflito com leis naturais, com leis fundamentais da vida, que como ninguém as conhece, ninguém tem certeza de não as estar violando. E a violação das leis naturais tem sanções automáticas que ninguém tem o poder de esquivar-se. Pretendendo corrigir a Natureza, pretendemos realmente substituí-la, o que é impossível e resulta no nosso próprio aniquilamento e do nosso esforço (...) Aliás, quem tem uma notável competência administrativa emprega hoje a sua atividade em campos mais apropriados que a governação de países." Como todos os escritos do Mestre: Tais notas são atemporais! 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Um ano de Trabalho!


Arquivos Desconexos está prestes a completar um ano. Montanhismo, Ambientalismo, Política, Administração Pública, Literatura, Filosofia: Um pouco de tudo foi tratado. Jamais advogamos o sensacionalismo.   Acreditamos que a qualidade (e conteúdo) de um Blog não se mede pelo número de acessos. Mesmo assim, Arquivos Desconexos atingiu a considerável marca de 16 mil e 800 acessos em 2011. Devido a este fato e, principalmente, a qualidade intelectual de nossos Leitores, nosso Blog têm causado preocupação nos bastidores do poder. Nada mais natural, pois não poderíamos permanecer omissos! Neste ano de eleições que se avizinha, iremos realizar meticulosa análise da trajetória, propostas e articulação política de cada um dos postulantes ao Executivo Rolandense. Esse é o nosso dever e papel. Nos próximos dias realizarei um breve recesso de final de ano. Momento de agradecer ao Eterno e reconhecer o papel fundamental dos nossos Familiares, Amigos, Colaboradores e Leitores! Vocês fazem Arquivos (des)conexos! Boas festas e próspero ano novo à Todos!

sábado, 3 de dezembro de 2011

Maioria dos Vereadores é contra Desafetação !



Nesta edição de Manchete do Povo, o Prefeito Joni Lehmann, através de sua Assessoria, confirmou a esdrúxula proposta de venda de 32 áreas públicas, em vã tentativa de justificar o injustificável. Das 32 Áreas Municipais relacionadas na proposta, 16 são Áreas Institucionais  e 1 é de Lazer e Recreação. Farto subsídio Legal, Teórico, Doutrinário e Jurisprudencial foram coletados em diversas Obras e Portais Jurídicos. Uma síntese foi publicada no referido Jornal. Também enviamos à diversos Vereadores, o Artigo do Jurista Amilton Plácido da Rosa - Procurador de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul: Representação contra Lei Municipal que desafetou diversos bens públicos do Município, para colocá-los à venda. A sorte está lançada! Felizmente, o comprometimento público de nossos Nobres Vereadores vêm prevalecendo até o momento. De maneira inteligente, Manchete do Povo entrevistou todos os Vereadores de Rolândia e apurou que seis são contrários (Fábio Nogaroto, Renato Sartori, Zé de Paula, Luiz César Jaymes, Márcio Vinícios e Enéias Galvão) quatro ainda não formaram opinião. Mesmo assim, a Administração Joni não se dá por rogada e promete lutar pela aprovação da aberrante proposta com todas as armas! Esperamos que nossos Edis se mantenham firmes em defesa da Lei, da Doutrina, da Jurisprudência e do BOM SENSO!