Google+ Followers

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Sobre Turismo e Zoneamento...

Caminhos de São Rafael;

TURISMO: Rolândia é um dos Municípios com maior potencial turístico no Norte do Paraná. Nosso legado cultural é objeto de vários estudos, teses, filmes e romances. Temos uma diversidade arquitetônica, cênica e histórica invejável. Além da tradicional culinária alemã, agora o distrito de São Martinho é a capital paranaense dos embutidos!

DESENVOLVIMENTO:  Não obstante este incrível potencial turístico, há décadas Rolândia se consolidou como pólo agrícola, industrial, comercial e de serviços. Graças ao empreendedorismo de nossa gente, somos a vigésima segunda economia do Estado. Em minha opinião, agricultura,  indústria e turismo não podem ser atividades antagônicas!

ZONEAMENTO: Com efeito, é preciso harmonizar e ordenar as atividades econômicas dentro do Município. Isto é possível com a definição de um zoneamento ecológico-econômico que sacramentará glebas com vocação turística, agrícola e ecológica, tais como as bacias dos Ribeirões Ema-Jaú e Cafezal, rota do Café, Caminhos de São Rafael, etc... 

REALIDADE: A explosão urbana causou vários conflitos de vizinhança entre indústrias e residências em Rolândia. Atualmente (devido a uma Lei de nossa iniciativa) as áreas industriais devem ser separadas das residenciais por via perimetral de 32 metros de largura. Tais avenidas já são realidade nos Jardins dos Pioneiros, José Erdei e Cidade Nova!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

12 anos do Código Ambiental!


TRABALHO: Há doze anos Rolândia conquistava seu Código Ambiental, uma Lei de nossa iniciativa como Vereador. Registre-se que o texto recebeu o apoio integral do COMDEMA, além de acatar diversas sugestões da Sociedade Civil formuladas nas Audiências Públicas que antecederam a aprovação unânime pelo Legislativo Municipal. 

AVANÇOS: Nosso Código Ambiental (Lei nº 2.855/2001) disciplinou diversas questões relacionadas a qualidade de vida de todos, dentre as quais: Saneamento, Poluição hídrica, atmosférica, sonora, conservação dos solos, da fauna e flora, competências e atribuições das autoridades locais, fiscalização e penalização de crimes ambientais, etc...

ESTRUTURA: Entretanto, grande parte dos dispositivos previstos em nosso Código não são cumpridos devido a falta de estrutura da Secretaria de Meio Ambiente. Após uma década de cobranças ainda não temos um único Fiscal Ambiental contratado. Uma vergonha para um Município com 57 mil habitantes e orçamento anual de R$ 130 milhões!

FUNDO: Outra reivindicação antiga prevista no Código Ambiental é a criação e dotação do Fundo Municipal de Meio Ambiente. Pela Lei, os recursos provenientes de ICMS Ecológico, multas ambientais, convênios e locações de áreas verdes devem ser aplicados pela Secretaria sob fiscalização do COMDEMA. Maior transparência, eficiência e participação comunitária na aplicação dos recursos públicos: Este é o espírito da Lei!  

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Rolândia precisa de mais uma Vara Cível!!!



O Tribunal de Justiça do Paraná autorizou a instalação de mais duas Varas Cíveis em Cambé e Arapongas. Novamente Rolândia foi esquecida! É preciso unir todas as nossas forças (Judiciário, Legislativo, Executivo, OAB, ACIR, Clubes de Serviços) e continuarmos reivindicando a tão sonhada e necessária Nova Vara Cível: Mãos à Obra, Rolândia!

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

MEC: Não à inclusão radical!

Mobilização em Defesa da Educação Especial em Rolândia!

DESUMANIDADE: A meta 4 do Plano Nacional de Educação do governo federal pode ser definida em uma palavra: Desumanidade! Entre as diretrizes autoritárias do PNE está a obrigatoriedade de toda criança especial ser inserida em escolas regulares. Será o fim das Apaes. O projeto deve ser votado pelo Senado Federal no próximo mês.
ESTRUTURA: Fato pacífico as escolas regulares não têm as mínimas condições (físicas e pedagógicas) para receber estas crianças. A grande preocupação é que o plano, ao invés de incluir, irá excluir as crianças especiais que não terão os meios necessários para acompanhar as demais. Já os adultos especiais ficarão completamente desassistidos!
PREOCUPAÇÃO: Se o famigerado plano do MEC for aprovado, as Escolas Especiais não terão direito à captação de recursos do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). Sem estes recursos as Apaes serão fechadas. Atualmente 41 mil alunos são atendidos no Paraná.
Leia mais em Apae Rolândia.