Google+ Followers

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Há uma tensão no ar!


Que a grande mídia financiada por este governo corruPTo finge que não vê. O país está parando. A iniciativa privada está a beira da exaustão. Os indicadores econômicos falam por si. Altos impostos, burocracia, corrupção, inflação… Ano após ano, novos monopólios promíscuos surgem com as bençãos do estado em benefício dos amigos do rei e da rainha.

O estado e suas estatais são um oceano de incompetência, mediocridade e corrupção. O caso da Petrobrás é emblemático: Bilhões de reais roubados descaradamente em nome de um projeto de poder que está levando a Nação à ruína. Trata-se do mesmo programa que conduziu a Venezuela, Argentina, Coréia do Norte, Cuba e inúmeros outros países ao caos.

Hoje prestigiei a Luta dos Caminhoneiros: Legítima Greve da Iniciativa Privada! Mais ouvi do que falei. Contaram-me sobre as gigantescas fazendas do filho do rei no Pará, em Goiás, Mato Grosso… Falaram sobre os malefícios do mais novo monopólio criado pelo governo no setor de carnes. Se indignaram com a elevação dos impostos, combustíveis, energia…

Que Brasília nada faz para quem produz. Afirmaram que estão cansados de carregar o peso do estado (e sua ilha da fantasia) nas costas. Contaram-me que empresários e trabalhadores estão se unindo em uma causa comum; Pressentem tempos difíceis no horizonte da Nação. Eles temem (com toda a razão) o mesmo caos experimentado na Venezuela.

Argumentaram que se as empresas fecharem terão pouco (ou nenhum)  trabalho e temem por suas Famílias. Perguntei a eles por que a Globo, a Folha de São Paulo e a grande mídia não dá a devida importância a Greve deles; Eles riram. Disseram que quando começar a faltar gasolina, papel higiênico e alimentos nos mercados eles irão noticiar…

Confesso que esta é a Greve mais justa dos últimos tempos. Empenhei meu total apoio e estímulo. Argumentei que eles têm a oportunidade de dar uma lição bem simples nos parasitas do governo: Quem é que depende de quem nesta história toda!

Um comentário: